quarta-feira, 17 de abril de 2013

As marcas do ministério de Paulo


Após ler 2 Co 11.23-33 e ter recebido força espiritual da parte de Deus, achei por bem transcrever algumas das dificuldades que permearam a gloriosa carreira que trilhou o doutor dos gentios. Reflitamos, pois, acerca do legado de Paulo a todos os servos de Cristo.

Paulo, durante o seu ministério, vivenciou:
  • Excessivos trabalhos (v.23);
  • Prisões (v.23);
  • Açoites (v.23, 24);
  • Perigos de morte (v.23);
  • Fustigos (v.25);
  • Apedrejamento (v.25);
  • Naufrágios (v.25);
  • Jornadas (v.26);
  • Perigos de rio (v.26);
  • Perigos de salteadores (v.26);
  • Perigos entre os seus compatriotas (v.26);
  • Perigos entre gentios (v.26);
  • Perigos na cidade (v.26);
  • Perigos no deserto (v.26);
  • Perigos no mar (v.26);
  • Perigos entre falsos irmãos (v.26);
  • Trabalhos e fadigas (v.27);
  • Vigílias [noites sem dormir] (v.27);
  • Fome (v.27);
  • Sede (v.27);
  • Jejuns (v.27);
  • Frio (v.27);
  • Nudez (v.27);
  • Preocupação com todas as igrejas (v.28, 29);
  • Perseguição (v.32);
  • Livramento de Deus (v.33).

Enfim, em Filipenses 4.13, Paulo diz: "Tudo posso naquele que me fortalece". E em Romanos 8.37, assinala: "Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou". Glórias ao Pai! Nada "poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor" (Rm 8.39)!

Em Cristo,

João Paulo M. de Souza

Um comentário:

Pedro DE OLIVEIRA ROCHA disse...

Só queria ressaltar outra característica do Ministério de Paulo que muitos ministros das igrejas atuais não querem imitar que levou o citado Apóstolo a passar por todas essas privações que o caro irmão descreveu acima:
Paulo nunca cobrou para pregar o Evangelho e recomendava a mesma coisa para os pastores(embora recebesse doações voluntárias)(At 20;33 a 35,I Cor 9;15 a 18, II Cor 11;7, 8-12;14 a 18, I Tess 2;9, II Tess 3; 6 a 9. I Tim 6;3 a 5).